Publicidade

Corpos de mãe e filha que perderam a vida em acidente na BR-282 em Pinhalzinho ainda aguardam liberação do IML

A informação foi apurada pela reportagem da Rádio Atual FM

08 de Janeiro
Publicidade

Na manhã do dia 9 de dezembro um grave acidente vitimou quatro pessoas e deixou outra, uma criança de seis anos, em estado grave, na BR-282, em Pinhalzinho. A criança de seis anos segue internada no Hospital Regional de Chapecó, com quadro clínico grave, enquanto uma mulher e o homem, que era o condutor do veículo, já foram enterrados no município de Concórdia, onde residiam. A mãe e a filha, também vítimas do acidente, porém, ainda não puderam ser enterradas.

A justificativa da não liberação dos corpos, de acordo com o Instituto Médico Legal (IML), é de que, como ambas possuem nacionalidade haitiana, precisam da apresentação de um parente de primeiro grau e, por enquanto, nenhum familiar ainda compareceu ao IML de Chapecó. Para liberar os corpos, o IML precisa cumprir as exigências da legislação e, por isso, não é possível a liberação antes do reconhecimento ou algum encaminhamento judicial. Caso nenhum familiar tiver condições de se deslocar até o Brasil, os encaminhamentos deverão ser tomados através da embaixada do Haiti.

O acidente

O veículo, um VW/Golf, saiu da pista e colidiu contra as árvores às margens da rodovia BR-282, em Pinhalzinho. No acidente, quatro pessoas perderam a vida. Duas mulheres, um homem – que era o condutor do veículo, e uma criança de 11 anos. Uma quinta vítima, um menor de seis anos, continua internado com quadro clínico grave no Hospital Regional Oeste em Chapecó. No momento do acidente, os cinco se deslocavam para o município de Dionísio Cerqueira.

Publicidade
Publicidade